Quem foi o Apóstolo Paulo?

Quem-Foi-O-Apóstolo-Paulo-História-Do-Apóstolo-Paulo

Saber quem foi o Apóstolo Paulo é fundamental para entendermos seus profundos ensinamentos, que servem como uma fonte rica de inspiração cristã.

Conhecido por sua devoção fervorosa, influência teológica e dedicação incansável à doação da fé cristã, certamente o apóstolo Paulo deixou um legado duradouro.

Neste artigo, vamos explorar a vida e o impacto desse importante líder cristão, que até nos dias de hoje, influência milhões de pessoas pelo mundo, com seus ensinamentos e exemplos vividos.

A História do Apóstolo Paulo

Paulo, originalmente conhecido como Saulo, nasceu em Tarso, na antiga província romana da Cilícia (atual Turquia), por volta do ano 5 d.C.

Porém, sua infância é muito debatida entre os estudiosos, pois pouco se tem sobre quem foi o Apóstolo Paulo antes de sua aparição como já perseguidor dos cristãos.

Embora nascido em Tarso, que era um centro de cultura grega, por ser de ascendência judaica da tribo de Benjamin, aprendeu muito sobre ambas as culturas de sua época.

Também porque o Apóstolo Paulo foi formado em Jerusalém, por volta do ano 15-20 d.C. pelo doutor da Lei, Gamaliel, neto de Hillel.

Com tal formação, aprendeu tudo sobre a cultura grega e sobre as leis judaicas.

Além disso, aprendeu a falar diversas línguas de sua época, se tornando um poliglota habilidoso.

Portanto, com tamanha formação e capacitação, certamente ele era de uma família próspera financeiramente, com uma posição social considerável.

Pois poucos tinham acesso à formação pelo rabino Gamaliel, além da exigência de que os candidatos fossem de uma inteligência acima da média, as condições financeiras da família deveriam arcar com as diversas despesas estudantis.

Em pouco tempo Paulo se destacou tanto, que se tornou doutor da Lei e membro do sinédrio, que era um cargo de alto estima do povo judeu.

Mas antes de sua conversão, era reconhecido como Saulo e por volta do ano 34 d.C., se tornou um dos maiores perseguidores de cristãos de sua época.

Com isso, aonde Saulo passava, sabia-se que haveria condenação e até morte de todos os opositores ao seu ideal religioso judaico.

Pois com sua influência, conseguia cartas do governo e de sua religião, dando liberdade total para fechar as novas igrejas cristãs e até matar todos os opositores à Lei Judaica, caso fosse “necessário”.

Como foi a Conversão do Apóstolo Paulo?

Como-Foi-A-Conversão-Do-Apóstolo-Paulo

Sua experiência de conversão foi enquanto viajava para Damasco, que ficava cerca de 240km de Jerusalém, aproximadamente no ano 36 d.C..

Embora parecesse mais uma simples missão, a sua vida mudaria por completo, drasticamente:

E, indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu.” (Atos 9:3)

E diante daquela forte luz Saulo cai por terra e ouve uma linda voz, que dizia:

– Saulo, Saulo porque me persegues?

Era ali a figura do próprio Senhor Jesus aparecendo diante dele, para impedi-lo de continuar com aquela jornada.

“E ele disse: Quem és, Senhor? E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões.” (Atos 9:5)

Jesus deixa bem claro, que era Ele mesmo aparecendo para defender à sua igreja, revelando assim o erro que Saulo estava cometendo com àquelas “caravanas da morte”.

E ele, tremendo e atônito, disse: Senhor, que queres que eu faça? E disse-lhe o Senhor: Levanta-te, e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer.” (Atos 9:6)

Quando Saulo abre os olhos não enxerga ninguém, pois literalmente fica cego com o brilho da glória de Jesus, que rompeu totalmente sua retina.

Embora os homens que com ele estava, também ouviram aquela voz, não viram nada diferente.

E por conseguirem enxergar normalmente, conduziram Saulo, que estava cego, até a Damasco.

Portanto, esteve Saulo três dias sem ver, não comeu e nem bebeu, mas ali o Senhor já tinha preparado tudo.

Pois ali mesmo havia o profeta Ananias, que é convocado pelo próprio Deus, para ir até Saulo, na rua chamada Direita.

Quando o profeta Ananias ouve que era Saulo, questiona se seria a pessoa correta.

Pois sabia da má fama dele como “perseguidor da igreja”, quando é respondido dessa forma:

“Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome diante dos gentios, e dos reis e dos filhos de Israel.” (Atos 9:15)

Portanto, o profeta obedecendo à direção de Deus, chega e impõe as mãos ministrando a cura de Saulo daquela cegueira, onde logo já é batizado e cheio do Espírito Santo!

Após essa transformação, Saulo se alimenta e fica alguns dias juntamente com alguns discípulos locais.

Mas, curioso foi a atitude de Saulo, assim que se recupera fisicamente:

“E logo nas sinagogas pregava a Cristo, que este é o Filho de Deus.

E todos os que o ouviam estavam atônitos, e diziam: Não é este o que em Jerusalém perseguia os que invocavam este nome, e para isso veio aqui, para os levar presos aos principais dos sacerdotes?”

(Atos 9:20,21)

Ou seja, muitos ficaram confusos ao verem aquilo, pois o homem que perseguia incansavelmente os novos convertidos à Cristo, estava agora pregando sobre ele.

Porque Saulo estava indo para Damasco?

Muitos se perguntam o que tinha em Damasco, que atraiu a atenção de Saulo para sua jornada de perseguição aos cristãos.

Mas o estudioso French Arrington, especialista em Novo Testamento, nos dá a resposta:

Damasco representava muito mais para Saulo, o rígido fariseu, que outra parada em sua campanha de repreensão. Era o ponto central da vasta cadeia comercial com extenso comércio de linhas de caravana alcançando o norte da Síria, Mesopotâmia, Anatólia, Pérsia, e Arábia. Se o “novo caminho” do Cristianismo florescesse em Damasco logo chegaria a todos esses lugares. Do ponto de vista do Sinédrio e de Saulo, o grande perseguidor, o cristianismo tinha de ser detido em Damasco.” (French Arrington)

Ou seja, era um ponto geograficamente estratégico, que colaboraria muito para o crescimento do Cristianismo.

Curioso é que na época ainda não era chamado de “Cristianismo”, pois inicialmente foi popularmente conhecido como “Caminho” (Atos 9:1-2).

O que aconteceu com o Apóstolo Paulo após sua conversão?

Logo após a sua conversão, Paulo sai de Damasco (onde se converteu) e vai para a Arábia, onde fica 3 anos.

Alguns estudiosos sugerem, que essa decisão foi para aprender a caminhar com Cristo, inspirado nos demais apóstolos, que tinham caminhado com Ele, também por 3 anos.

Mas após esse período, volta para Damasco, sofrendo grande rejeição, por duvidarem de sua real conversão.

Com isso, alguns judeus armam ciladas para o matar, mas Paulo encontrou refúgio, fugindo de Damasco, por um cesto lançado pelo muro da cidade.

Então Barnabé leva Saulo até os apóstolos em Jerusalém, para dar testemunho de como ele havia se convertido à caminho de Damasco e que pregava sobre Jesus com ousadia.

Com isso, na cidade santa conhece os primeiros apóstolos de Jesus, onde tem seu primeiro contato com o apóstolo Pedro, que ficou com ele por 15 dias.

Mas ninguém deu credibilidade à Paulo, então o acompanharam até Cesaréia, enviando-o de volta à sua terra natal de Tarso.

Muitos estudiosos da Bíblia, também acreditam que essa decisão inicial dos apóstolos de dispensar Saulo, foi por 2 motivos:

  1. Por ninguém acreditar na sua real conversão e disposição para fazer a obra, havendo necessidade de ganhar primeiro a confiança, que só é obtida com o tempo;
  2. Por ele ter tido mais estudo e conhecimento, se sentiram “ameaçados” e com receio de muitos novos convertidos deixarem de segui-los, para seguir a Saulo, que poderia também, estar “armando uma cilada”.

Mas essa transformação profunda em sua conversão, era apenas o início de tudo.

Pois futuramente, ele se tornaria um dos apóstolos mais aparentes da história do Cristianismo.

Deus mudou o nome de Saulo para Paulo?

Não. Definitivamente essa mudança de nome nunca existiu, pois não há nenhuma referência bíblica que aponte para esse ocorrido.

Embora sabe-se que Deus mudou o nome de algumas pessoas na bíblia, como por exemplo de Jacó para Israel, mas não foi o caso de Paulo.

Pois o nome “Saulo”, nada mais é do que a tradução grega do nome hebraico “Saul”, que significa “o desejado”.

Sim, exatamente o nome do primeiro rei de Israel, que curiosamente, também era da tribo de Benjamin, semelhante à Saulo.

Mas Saulo também possuía outro nome “Paulo”, que vem do latim “Paulos”, que significa “pequeno”.

Alguns estudiosos defendem que o Apóstolo Paulo preferiu ser conhecido assim, porque era um nome gentio e não judeu, e por ele ter sido escolhido como “o apóstolos dos gentios” seria mais apropriado para o seu ministério.

E na própria Bíblia temos uma referência que aponta seus “dois nomes”:

Todavia Saulo, que também se chama Paulo, (…)” (Atos 13:9)

Como foi o Chamado do Apóstolo Paulo?

Como-Foi-O-Chamado-Do-Apóstolo-Paulo

Embora o chamado do Apóstolo Paulo começa já quando ele se converte na aparição de Jesus à caminho de Damasco, teve que aguardar aproximadamente, longos 14 anos.

Como ele mesmo registra na carta aos Gálatas:

“Depois, passados catorze anos, subi outra vez a Jerusalém com Barnabé, levando também comigo Tito. E subi por uma revelação, e lhes expus o evangelho, (…)”

(Gálatas 2:1,2)

Ou seja, Paulo fica aguardando longos anos em Tarso, trabalhando como fazedor de tendas e aguardando a confirmação de seu chamado.

Mas após esse longo período, Barnabé aparece solicitando-o para a missão, que Paulo mais aguardava em sua vida: Anunciar o Evangelho para os gentios!

Com isso, Paulo larga tudo e segue a Barnabé para auxiliá-lo na obra de Deus.

Portanto se estabelecem na igreja em Antioquia e se preparam para a primeira viagem missionária.

Qual foi a Jornada Missionária do Apóstolo Paulo?

Qual-Foi-A-Jornada-Missionária-Do-Apóstolo-Paulo

Após seu chamado para a obra de Deus, o apóstolo Paulo embarcou em várias jornadas missionárias, percorrendo vastas regiões do mundo antigo, incluindo partes da Ásia Menor, Grécia e Roma.

No livro de Gálatas, no capítulo 1, o Apóstolo Paulo descreve o início de seu ministério.

Embora tenha enfrentado muitos desafios e perseguições ao longo do seu ministério, sua tenacidade e perseverança inspirou inúmeros cristãos ao longo dos tempos.

Pois mesmo diante de muitas oposições sofridas, nunca desistiu ou desanimou, de servir à Deus de todo o seu coração.

Portanto, realizou grandes viagens missionárias, durante as quais estabeleceu comunidades cristãs e fortaleceu os laços entre os primeiros seguidores de Jesus.

Vamos agora verificar as 3 Viagens Grandes Missionárias realizadas pelo Apóstolo Paulo, com as suas cidades visitas.

Primeira Viagem Missionária

Primeira-Viagem-Missionária-Do-Apóstolo-Paulo

A primeira viagem missionária do Apóstolo Paulo é descrita no Livro de Atos, no Novo Testamento da Bíblia.

Durante essa viagem, que ocorreu por volta do ano 46-48 d.C., Paulo foi acompanhado por Barnabé e João Marcos.

As cidades visitadas durante essa jornada incluíram:

  1. Antioquia da Síria: Foi o ponto de partida da viagem.
  2. Ilha de Chipre: Eles viajaram para Salamina e Pafos na ilha.
  3. Pérgamo: Partiram para Pérgamo na costa da Ásia Menor.
  4. Antioquia da Pisídia: Aqui, Paulo pregou na sinagoga.
  5. Icônio: Onde Paulo e Barnabé pregaram, mas enfrentaram resistência.
  6. Listra: Uma cidade onde Paulo curou um homem coxo, mas também foi apedrejado.
  7. Derbe: Uma cidade onde muitos discípulos foram feitos.

Após visitar essas cidades, Paulo e Barnabé retornaram a Antioquia da Síria, encerrando assim a primeira viagem missionária.

Essa viagem é descrita em detalhes nos capítulos 13 e 14 do Livro de Atos.

Segunda Viagem Missionária

Segunda-Viagem-Missionária-Do-Apóstolo-Paulo

A segunda viagem missionária do Apóstolo Paulo, conforme registrada no Livro de Atos, abrangeu um período aproximado de 49-52 d.C.

Durante essa jornada, Paulo foi acompanhado por Silas (Silvano) e, em parte da viagem, por Timóteo. As cidades visitadas foram:

  1. Derbe e Listra: O início da viagem, onde Paulo escolheu Timóteo para se juntar a ele.
  2. Frigia e Galácia: Atravessaram essas regiões, sendo impedidos pelo Espírito Santo de pregar na Ásia.
  3. Mísia: Tentaram ir para Bitínia, mas o Espírito de Jesus não permitiu.
  4. Trôade: Paulo recebeu uma visão de um homem da Macedônia pedindo ajuda, levando-os a atravessar para a Europa.
  5. Filipos: Primeira cidade na Macedônia onde eles pregaram e estabeleceram uma comunidade.
  6. Tessalônica: Paulo pregou na sinagoga, mas enfrentou resistência.
  7. Berea: Os Bereanos receberam a mensagem com mente aberta e examinaram as Escrituras.
  8. Atenas: Paulo pregou no Areópago, discutindo com filósofos.
  9. Corinto: Onde Paulo encontrou Áquila e Priscila, pregou e estabeleceu uma comunidade cristã.
  10. Éfeso: Paulo passou brevemente antes de prosseguir para a Síria, mas retornou mais tarde em sua terceira viagem missionária.

A segunda viagem missionária de Paulo é detalhada em Atos 15:36 a 18:22.

Terceira Viagem Missionária

Terceira-Viagem-Missionária-Do-Apóstolo-Paulo

A terceira viagem missionária do Apóstolo Paulo, conforme registrada no Livro de Atos, ocorreu por volta de 53-58 d.C.

Durante essa jornada, Paulo concentrou-se principalmente na região da Ásia Menor (atual Turquia).

As cidades visitadas incluíram:

  1. Antioquia: Paulo começou a viagem a partir de Antioquia da Síria, onde tinha uma base.
  2. Galácia e Frígia: Ele percorreu essas regiões fortalecendo as igrejas.
  3. Éfeso: Paulo passou um tempo considerável em Éfeso, onde encontrou discípulos de Apolo, pregou e realizou milagres.
  4. Macedônia e Acaia: Ele viajou por essas regiões, encorajando as igrejas.
  5. Corinto: Paulo passou um tempo significativo em Corinto, onde escreveu a Epístola aos Romanos.
  6. Troas: Paulo ressuscitou o jovem Êutico em Troas.
  7. Assos, Mitilene, Quios, Samos e Mileto: Paulo passou brevemente por essas cidades em sua viagem de retorno para Jerusalém.

O relato detalhado da terceira viagem missionária de Paulo pode ser encontrado em Atos 18:23 a 21:17.

Mas essa viagem foi marcada por ensinamentos profundos.

Pois houve confrontos com muita oposição e um forte foco na consolidação e fortalecimento das comunidades cristãs.

Suas Contribuições Teológicas

Apóstolo-Paulo-E-Suas-Contribuições-Teológicas

Suas cartas, fornecem uma visão profunda de suas crenças teológicas e oferecem orientação prática para os primeiros cristãos.

O apóstolo Paulo desempenhou um papel fundamental na formulação da teologia cristã no primeiro século.

Sendo frequentemente considerado um dos teólogos mais influentes do Cristianismo primitivo.

Pois enfatizou a graça divina como meio de salvação, também que a fé em Jesus Cristo era o único caminho para a reconciliação com Deus.

Com isso, suas doutrinas sobre a justificação pela fé (Romanos 3:28) e a unidade dos crentes em Cristo (Gálatas 3:28), ****influenciaram grandiosamente o pensamento teológico subsequente.

Pois se tornaram conceitos fundamentais, que moldaram a identidade do Cristianismo como é conhecida hoje.

Seus escritos abordam temas cruciais, tais como: a relação entre a fé e a lei, a natureza do pecado e da salvação, e a importância da graça divina.

Portanto, as suas epístolas continuam a orientar e inspirar gerações de fiéis até os dias de hoje.

Quais Livros da Bíblia foram Escritos pelo Apóstolo Paulo?

Dos 66 livros da Bíblia, sendo 39 do Antigo Testamento e 27 do Novo Testamento, 13 foram escritas pelo Apóstolo Paulo, segue abaixo a lista deles:

  1. Romanos;
  2. I Coríntios;
  3. II Coríntios;
  4. Gálatas;
  5. Efésios;
  6. Filipenses;
  7. Colossenses;
  8. I Tessalonicenses;
  9. II Tessalonicenses;
  10. I Timóteo;
  11. II Timóteo;
  12. Tito;
  13. Filemon.

Portanto, notasse a importância na contribuição teológica do Apóstolo Paulo, que serve até os dias de hoje como guia prático para a fé cristã.

Perseguições e Sofrimentos

A vida de Paulo não foi marcada apenas por triunfos, mas também por adversidades!

Pois enfrentou perseguições, agressões físicas, aprisionamentos e muitos sofrimentos ao longo de sua jornada.

No entanto, sua influência enchia a mensagem do Evangelho inabalável, e ele continuava a pregar até o fim de sua vida.

Para complemento sobre todas as dificuldades que o apóstolo Paulo enfrentou, leia esse Post: As Marcas de Cristo na Vida do Servo!

Qual era a aparência do Apóstolo Paulo?

Na Bíblia, há um registro apenas, que retrata a aparência do Apóstolo Paulo, mas de forma bem genérica:

“Porque as suas cartas, dizem, são graves e fortes, mas a presença do corpo é fraca.” (2 Coríntios 10:10)

Pois nenhum outro livro na bíblia, trás mais referências sobre detalhes da aparência do Apóstolo Paulo, mas há um livro apócrifo (Atos de Paulo e Tecla), que o define da seguinte maneira:

[Paulo era], um homem de pequena estatura, parcialmente calvo, pernas arqueadas, de compleição robusta, olhos próximos um ao outro e nariz um tanto curvo.

A versão armênia deste mesmo texto, acrescenta que os olhos dele eram de cor azul.

O Apóstolo Paulo também tinha Cidadania Romana?

Muitos estudiosos chamam o apóstolo Paulo de “homem de 3 mundos”.

Pois tinha linhagem grega, judaica e ainda cidadania romana!

Pois a sua cidadania romana, ele mesmo afirma, em uma de suas várias prisões:

“E, vindo o tribuno, disse-lhe: Dize-me, és tu romano? E ele disse: Sim.

E respondeu o tribuno: Eu com grande soma de dinheiro alcancei este direito de cidadão. Paulo disse: Mas eu o sou de nascimento.

E logo dele se apartaram os que o haviam de examinar; e até o tribuno teve temor, quando soube que era romano, visto que o tinha ligado.”

(Atos 22:27-29)

Naquela época, mais da metade de todo o Império Romano, não possuía cidadania romana, e acreditasse que Paulo herdou tal cidadania de seu pai.

A cidadania romana dava certos privilégios, que outros não possuíam, tais como:

  • Ser imune aos açoites, a qual sempre aconteciam antes das condenações;
  • Estava livre da pior pena de morte da época: A morte de Cruz;
  • E em caso de acusação, poderia se exigir julgamento perante César.

A Última Viagem e Seus 4 Eventos

A-Última-Viagem-Do-Apóstolo-Paulo-E-Seus-4-Eventos

A última viagem do Apóstolo Paulo foi em direção à Roma e é narrada nos capítulos 27 e 28 do Livro de Atos.

Logo abaixo estão os 4 Principais Eventos dessa viagem, com referências bíblicas:

  1. Viagem de Cesareia para Roma (Atos 27:1-5): Paulo, como prisioneiro, foi enviado de Cesareia para Roma para ser julgado diante do imperador. Ele embarcou em um navio juntamente com outros prisioneiros.
  2. Naufrágio em Malta (Atos 27:13-28:1): Durante a viagem, o navio enfrentou uma forte tempestade no Mar Adriático. O naufrágio resultou na chegada de Paulo e os outros náufragos à ilha de Malta. Lá, Paulo realizou um milagre ao curar o pai de Públio, o chefe da ilha.
  3. Chegada a Roma (Atos 28:11-16): Após passar três meses em Malta, Paulo e os outros seguiram para Roma em outro navio. Em Roma, Paulo foi recebido por irmãos cristãos que tinham ouvido falar dele. Ele permaneceu sob prisão domiciliar, mas teve a liberdade de pregar o evangelho.
  4. Pregação em Roma (Atos 28:17-31): Paulo permaneceu em prisão domiciliar em Roma, mas teve a oportunidade de receber visitantes e continuar seu ministério. Ele pregou o evangelho a muitas pessoas, incluindo líderes judeus.

Portanto, notamos que mesmo o apóstolo Paulo “algemado”, em meio ao perigo de morte, nunca deixou de pregar o evangelho de Jesus!

Como foi a morte do Apóstolo Paulo?

Como-Foi-A-Morte-Do-Apóstolo-Paulo

As informações sobre a morte do Apóstolo Paulo não são detalhadas na Bíblia.

No entanto, a tradição cristã afirma que ele foi martirizado em Roma durante o reinado do imperador Nero, por volta do ano 67 d.C.

Com isso, acredita-se que foi decapitado.

Pois era cidadão romano e tinha o direito a uma execução mais digna do que a crucificação ou outro meio de morte torturante.

A principal fonte para essa afirmação é a tradição histórica e os escritos dos primeiros pais da igreja, especialmente as cartas de Clemente de Roma e as obras de Eusébio de Cesareia.

  1. Clemente de Roma: Clemente foi um líder da igreja de Roma no final do primeiro século. Em sua Epístola aos Coríntios, escrita por volta do ano 95 d.C., Clemente faz referência ao martírio de Paulo. Embora ele não forneça detalhes específicos, a menção sugere que havia uma tradição estabelecida na igreja primitiva sobre a morte de Paulo em Roma.
  2. Eusébio de Cesareia: Eusébio, um historiador da igreja do século IV, em sua obra “História Eclesiástica,” fornece informações detalhadas sobre a vida e morte de vários líderes cristãos, afirmando que Paulo foi decapitado em Roma durante a perseguição de Nero.

Vale ressaltar que, embora haja consenso na tradição cristã sobre a morte de Paulo em Roma, alguns estudiosos questionam a historicidade de certas tradições.

Pois sugerem que a evidência direta é simplesmente limitada.

Enfim, o apóstolo Paulo foi preso e martirizado, deixando para trás um legado de coragem, fé inabalável e compromisso inegável com os ensinamentos de Jesus Cristo.

O Legado Duradouro para o Cristianismo

O Apóstolo Paulo foi um homem extraordinário, sua coragem, dedicação e , que nos aponta o caminho para a Salvação Eterna: O Senhor Jesus!

Com isso, deixou um legado profundo na história do Cristianismo, pois seus ensinamentos e escritos influenciaram gerações posteriores de teólogos e crentes.

Embora Paulo tenha desempenhado um papel central na disseminação do Cristianismo, suas relações com outros líderes do movimento não foram desprovidas de controvérsias.

Pois seus desentendimentos com Pedro (Gálatas 2:11-14) e Tiago (Atos 15:1-35), documentados nas Escrituras, refletem as diferenças de opinião teológica e prática.

Que foram situações que surgiram no contexto da expansão da fé cristã primitiva.

Mas nada disso impediu dos apóstolos trabalharem juntos, para que a mensagem de salvação fosse anunciada.

Mas Paulo, não se limitou em anunciar o evangelho apenas para os judeus, mas para todo àquele que cresse!

Ou seja, seu ministério mostra a importância de crer e obedecer o chamado de Deus, independente da aprovação dos homens.

Pois sua coragem em enfrentar perseguições e sua dedicação à propagação do Evangelho, fornecem inspiração e orientação para os cristãos em todo o mundo.

Também destaca-se a sua ênfase na unidade e na inclusão de todas as pessoas, independentemente de sua origem étnica ou cultural, ecoa até os dias de hoje.

Não houve limitações ao longo de seu ministério, pois sempre estava disposto a enfrentar qualquer dificuldade, desde que a Palavra de Deus fosse anunciada.

Que possamos ter as mesmas qualidades admiráveis desse grande homem de Deus!

Deus abençoe a sua vida!

Compartilhe e abençoe alguém também…

5 4 votos
Avaliação do Artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários
0
Adoraria sua opinião, por favor, comente.x
Rolar para cima