4 Tipos de Alegria do Servo de Deus

4-Tipos-De-Alegria-Do-Servo-De-Deus

Existem 4 Tipos de Alegria do Servo de Deus, que o fortalece e o mantém firme em sua chamada.

Embora ao longo do ministério enfrente muitas lutas e desafios, a força da alegria é fundamental ao longo dessa jornada.

No final do seu ministério, o apóstolo Paulo estava na prisão em Roma, quando escreve cartas especiais, para o fortalecimento da fé, foram elas: Filemon, Colossenses, Efésios e aos Filipenses.

Dessas cartas da prisão, uma chama muita atenção, que foi a destinada para a Igreja em Filipos.

Isso após 10 anos da igreja ter sido plantada, em sua segunda viagem missionária.

Lugar esse, onde grandes obras foram feitas através do poder do Espírito Santo, como:

  • A conversão da empresária Lídia;
  • A libertação da jovem adivinhadora;
  • O terremoto na prisão à meia-noite;
  • A conversão do carcereiro, com toda a sua casa.

Todos esses fatos estão registrados no livro de Atos, no capítulo 16.

Portanto, mesmo preso, isolado das igrejas, o apóstolo Paulo pega um pergaminho, e com sua pena e um tinteiro, escreve alegremente.

Nessa carta aos Filipenses, suas palavras escritas com e sabedoria, levariam grandes revelações.

E não somente para àqueles cristãos de sua época, mas para todos os Servos de Deus até os dias de hoje!

Os 4 Tipos de Alegria

A Bíblia no século 13, foi divida por capítulos, para facilitar as citações e os estudos.

Com isso, a carta aos Filipenses foi dividida em 4 capítulos, que sendo meditada com empenho e sabedoria, trás um grande ensinamento sobre os 4 Tipos de Alegria do Servo de Deus!

Portanto, vamos detalhar cada uma dessas alegrias abaixo, que é fundamental na caminhada ministerial de um servo e discípulo do Senhor Jesus!

Capítulo 1: Alegria em Padecer

Capítulo-1-Alegria-Em-Padecer

No capítulo 1 da carta aos Filipenses, o apóstolo Paulo declara a importância de nutrir a Alegria em Padecer, expondo o que estava vivendo:

¹² E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior proveito do evangelho;

¹³ De maneira que as minhas prisões em Cristo foram manifestas por toda a guarda pretoriana, e por todos os demais lugares;

¹⁴ E muitos dos irmãos no Senhor, tomando ânimo com as minhas prisões, ousam falar a palavra mais confiadamente, sem temor.”

(Filipenses 1:12-14)

Ou seja, Deus pode usar muitos meios para que Sua Palavra avance, como por exemplo, as vitórias da fé:

  • Com um cajado, Moisés abre o Mar Vermelho;
  • Com uma vara que floresceu, Arão se destaca dentre os demais;
  • Com uma pedra, Davi derrubou o gigante Golias;
  • Com uma queixada de jumenta, Sansão vence os filisteus.

Mas, usando a prisão e as algemas do apóstolo Paulo, Deus também estava avançando a Sua Palavra, para todo o mundo.

Portanto, tudo o que Paulo viveu, suas aflições, perseguições, injustiças, privações, serviram positivamente de testemunho e inspiração, para todos os que viviam à sua volta!

Também recebeu a “bagagem” suficiente, para ensinar com propriedade, sobre como servir à Deus com perseverança, dedicação e alegria.

Ou seja, se você é servo de Deus, em sua vida também poderá acontecer da mesma forma!

Pois além das vitórias da fé alcançadas ao longo de sua chamada, Deus usará também as provações, para que a Sua Palavra continue avançando!

E tudo para o fortalecimento e amadurecimento de sua fé, contribuindo para que você se torne um dos poucos íntimos de Deus!

Com isso nasce gloriosos testemunhos, que propagam ainda mais a Palavra de Deus por toda à Terra!

Por isso, independente do que você enfrente, ou já esteja enfrentando na sua chamada, permaneça firme, confiando nos planos de Deus!

Capítulo 2: Alegria em Servir

Capítulo-2-Alegria-Em-Servir

No capítulo 2 da carta aos Filipenses, o apóstolo Paulo3 exemplos maravilhosos de servos, onde cada um, com sua particularidade, cumpria seu chamado de servir com excelência:

  1. Jesus Cristo: O Maior de Todos os Servos;
  2. Timóteo: Seu discípulo fiel;
  3. Epafrodito: Cooperador da igreja de Filipos.

Vamos entender o porque desses grandes exemplos e o quanto podemos aprender com eles.

1º Exemplo: Jesus Cristo

Em sua carta, primeiramente retrata a posição do Senhor Jesus Cristo, como modelo perfeito de servo:

⁴ Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros.

⁵ De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,

⁶ Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,

⁷ Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;

⁸ E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.”

(Filipenses 2:4-8)

No original grego, a palavra utilizada “esvaziou-se” é “kenoo” (κενοω), que significa abrir mão dos privilégios, se privar de sua real força.

Ou seja, o nosso Senhor Jesus abriu mão de seus privilégios divinos e aceitou se igualar aos homens, para simplesmente servir!

No original grego, a palavra utilizada neste texto como “servo” é “doúlos” (δούλος), que significa escravo, aquele que se rende a vontade de outro.

E vemos nitidamente Jesus Cristo mostrando isso na prática!

Lembra quando lavou os pés dos discípulos em João 13?

Pois é, no mundo antigo, apenas lavava os pés de alguém, quem era escravo!

Portanto, não basta servir com alegria quando é algo humanamente honroso, mas principalmente quando é algo simples, que ninguém queira fazer.

2º Exemplo: Timóteo

Depois do primeiro exemplo, segue destacando a presença fiel de seu discípulo:

“E espero no Senhor Jesus que em breve vos mandarei Timóteo, para que também eu esteja de bom ânimo, sabendo dos vossos negócios.”

(Filipenses 2:19)

Ou seja, Timóteo estava presente e não ausente de seu líder espiritual, mesmo estando este na prisão.

Quantos só ficam perto de seu líder espiritual, quando as coisas vão bem?

Mas é justamente, quando as coisas vão mal, que a presença do discípulo é fundamental, tanto para servir, como para aprender.

Com isso, o apóstolo Paulo o discipulava, já com planos de futuramente enviá-lo para dar o apoio espiritual à igreja de Filipos e futuramente de encaminhá-lo para a liderança da igreja de Éfeso (1 Timóteo 1.3).

3º Exemplo: Epafrodito

Finalizando os exemplos da Alegria em Servir, destaca Epafrodito, que foi um cooperador muito dedicado em sua chamada de servo:

“²⁵ Julguei, contudo, necessário mandar-vos Epafrodito, meu irmão e cooperador, e companheiro nos combates, e vosso enviado para prover às minhas necessidades.

²⁶ Porquanto tinha muitas saudades de vós todos, e estava muito angustiado de que tivésseis ouvido que ele estivera doente.

²⁷ E de fato esteve doente, e quase à morte; mas Deus se apiedou dele, e não somente dele, mas também de mim, para que eu não tivesse tristeza sobre tristeza.

²⁸ Por isso vo-lo enviei mais depressa;”

(Filipenses 2:25-28)

Ou seja, Epafrodito foi fundamental para a propagação do Evangelho em Roma, pois desempenhou um papel significativo no apoio prático e financeiro à obra missionária do apóstolo Paulo.

Pois viajava constantemente de Filipos até Roma, para levar as ofertas arrecadadas pelos filipenses, suprindo assim, todas as necessidades do apóstolo na prisão.

Embora arriscando até mesmo sua própria vida, pela doença que o fragilizava, continuou firme e dedicado no serviço, determinado a cumpri-lo com excelência.

Qual é a sua desculpa para não servir mesmo?

Pense Nisso!

Capítulo 3: Alegria em Crer

Capítulo-3-Alegria-Em-Crer

No capítulo 3 da carta aos Filipenses, o apóstolo Paulo revela a sua crença no porvir.

Pois estava preso em Roma e sabia, que a qualquer momento, sua vida poderia chegar ao fim.

Mas mesmo diante da face da morte, continuava alegre e crendo:

“¹³ Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim,

¹⁴ Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.”

(Filipenses 3:13,14)

Quando afirma que esqueceu das coisas que atrás ficam, estava falando de tudo o que ele era e também o que tinha sacrificado por Cristo:

“⁵ Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; segundo a lei, fui fariseu;

⁶ Segundo o zelo, perseguidor da igreja, segundo a justiça que há na lei, irrepreensível.

⁷ Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo.”

(Filipenses 3:5-7)

Ou seja, mesmo sendo de linhagem especial judaica, mesmo sendo formado na melhor faculdade judaica na época a ponto de se tornar um fariseu, mesmo sendo famoso perseguidor, abriu mão de tudo, sem se arrepender de nada!

Esse é o alto preço da chamada: O sacrifício total!

Com isso, prosseguia para o alvo, crendo no prêmio celestial prometido por nosso Senhor Jesus!

Mas quantos que ficam presos ao passado?

Pois vivem considerando o que já foram, fizeram, sacrificaram, etc…

Porém, o verdadeiro servo de Deus, não considera o que já fez para o seu Senhor, mas foca no futuro do céu, praticando no presente aqui na terra, o melhor de si!

Você servo, que já fez “muito para Deus”. Tem feito esse muito hoje também ou é somente história do passado?

Portanto o capítulo termina, com o apóstolo Paulo reafirmando a sua e esperança futura:

“²⁰ Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo,

²¹ Que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas.”

(Filipenses 3:20,21)

Capítulo 4: Alegria em Dar

Capítulo-4-Alegria-Em-Dar

No capítulo 4 da carta aos Filipenses, o apóstolo Paulo expressa a importância da oferta dada, pela igreja de Filipos, à ele na prisão.

“¹¹ Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho.

¹² Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.

¹³ Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.

(Filipenses 4:11-13)

Porém, deixa bem claro, que como servo de Deus, sabia viver com o que tinha, pois já tinha alcançado a maturidade espiritual suficiente, para se alegrar em qualquer situação!

Pois o verdadeiro servo de Deus não precisa de coisas ou condições, para se alegrar no Senhor!

Portanto, conclui afirmando uma bênção profética à todos os ofertantes da igreja em Filipos:

“¹⁹ O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus.

²⁰ Ora, a nosso Deus e Pai seja dada glória para todo o sempre. Amém.”

(Filipenses 4:19,20)

Com isso, o apóstolo Paulo encoraja os cristãos em Filipos para se manterem firmes e com seus corações sempre abertos!

Pois a recompensa que viria, não seria humana da terra, mas de Deus dos céus!

Ou seja, aqueles que tiveram alegria em dar suas ofertas missionárias, poderiam já se alegrar novamente, pois a recompensa de Deus os haveria de alcançar!

Portanto, nos alegremos quando temos condições de dar, pois mais é bem-aventurado o que dá, do que o que recebe!

Conclusão

A carta do apóstolo Paulo aos Filipenses nos trás grandes revelações importantes para o ministério de um servo de Deus.

Pois diante de tudo o que enfrente na terra, nada pode roubar-lhe, nenhuma dessas 4 alegrias:

  1. Alegria em Padecer;
  2. Alegria em Servir;
  3. Alegria em Crer;
  4. Alegria em Dar.

Que possamos ser servos de Deus sempre alegres, sabendo que a nossa recompensa sempre virá!

E mesmo que tais recompensas, venham já na terra, que a nossa esperança maior, seja a recompensa no céu!

Que Deus te Abençoe!

Compartilhe e abençoe alguém também…

Nota: Mensagem Pr Juliano Fraga 26/07/2023: Link

Extraímos esse esboço, da mensagem Pr Juliano Fraga e os pontos acima!

5 2 votos
Avaliação do Artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários
0
Adoraria sua opinião, por favor, comente.x
Rolar para cima