Os Animais Tem Alma?

Uma dúvida muito frequente e mais comum do que possa parecer, é se os animais tem alma.

Embora haja muitas opiniões diferentes sobre esse assunto, precisamos ter como referência a bíblia sagrada!

Que para todo cristão, é a única regra de fé!

Portanto, com base bíblica, descubra e entenda, se há possibilidade dos animais terem uma alma.

Os Animais E O Ser Humano

O relacionamento entre o ser humano e os animais é uma dimensão complexa que atravessa culturas, filosofias e tempos históricos.

Pois desde os primórdios da humanidade, os animais desempenharam um papel crucial na sobrevivência e no desenvolvimento humano.

Inicialmente, os humanos dependiam dos animais para alimentação, vestuário e trabalho.

Com o tempo, essa relação evoluiu, incorporando aspectos de companheirismo e até adoração.

Pois na antiguidade, várias culturas viam os animais como seres espiritualmente significativos.

Os egípcios, por exemplo, reverenciavam gatos e acreditavam que eles possuíam poderes divinos.

No entanto, nos últimos séculos, houveram mudanças significativas na percepção dos animais.

Movimentos de direitos dos animais e a crescente evidência científica sobre a complexidade emocional e cognitiva deles, têm desafiado muitas crenças antigas.

Com isso, tanto filósofos antigos, como contemporâneos, durante séculos discutiram sobre esse assunto tão complexo.

E hoje, a relação entre humanos e animais continua evoluindo.

Contudo, muitos continuam se perguntando sobre a possibilidade de alma nos animais.

Mas será que isso têm alguma base bíblica?

Antes de revelar a resposta na Bíblia Sagrada sobre esse assunto, vamos expor as mais diferentes e controvérsias opiniões filosóficas que já existiram.

Quais As Visões Filosóficas Sobre A Alma Dos Animais?

Quais-As-Visões-Filosóficas-Sobre-A-Alma-Dos-Animais

Ao longo dos séculos, muitos filósofos tentaram entender e explicar sobre se “Os Animais Tem Alma”.

Embora fossem muito inteligentes, para muitas coisas, percebe-se uma certa dificuldade no entendimento sobre a espiritualidade.

Agora, vamos listar de forma bem resumida, apenas alguns dos filósofos mais conhecidos, que deram as suas opiniões:

Pitágoras (c. 570-495 a.C.)

Pitágoras acreditava na metempsicose, ou “transmigração das almas”, uma doutrina que sugere que as almas podem reencarnar em diferentes formas de vida, incluindo animais.

Para Pitágoras, todos os seres vivos compartilhavam uma alma comum, e essa crença levou seus seguidores a adotar uma dieta vegetariana, evitando o consumo de carne animal.

Empédocles (c. 490-430 a.C.)

Empédocles também acreditava na “transmigração das almas”.

Pois ele via todas as formas de vida como interconectadas através de um ciclo de nascimento, morte e renascimento.

Platão (c. 428-348 a.C.)

Platão desenvolveu uma teoria chamada de “tripartite da alma”, que incluía:

  1. A parte racional (logos): Responsável pelo pensamento e pela razão, presente nos seres humanos.
  2. A parte irascível (thumos): Responsável pelas emoções e pela coragem, presente tanto em humanos quanto em animais.
  3. A parte apetitiva (epithumia): Responsável pelos desejos e necessidades físicas, presente em todos os seres vivos, incluindo animais.

Embora Platão acreditasse que os animais possuíam partes da alma relacionadas às emoções e aos desejos, ele considerava a parte racional exclusiva dos seres humanos.

Aristóteles (384-322 a.C.)

Aristóteles desenvolveu uma teoria chamada de “hierarquia das almas”:

  1. Alma Vegetativa: Presente em plantas, responsável pelo crescimento e nutrição.
  2. Alma Sensitiva: Presente em animais, responsável pela percepção sensorial e movimento.
  3. Alma Racional: Exclusiva dos seres humanos, responsável pelo pensamento e racionalidade.

Para Aristóteles, os animais tinham “almas sensitivas” que lhes permitiam sentir e reagir ao ambiente, mas não possuíam a capacidade de raciocínio abstrato como os humanos.

Teofrasto (c. 371-287 a.C.)

Teofrasto, um seguidor de Aristóteles, também acreditava que os animais possuíam sensibilidade e emoções.

E também defendia um tratamento ético dos animais e, assim como Pitágoras, era conhecido por praticar o vegetarianismo, acreditando que os animais mereciam consideração moral.

Ou seja, nota-se que cada um deles tiveram opiniões diferentes e algumas até parecidas, mas sem base bíblica.

Portanto, vamos agora entender sobre esse assunto tão intrigante com base na Bíblia Sagrada, que para nós é a única referência segura sobre a alma, por ser a Palavra de Deus!

Qual A Resposta Bíblica Sobre A Alma Dos Animais?

Qual-A-Resposta-Bíblica-Sobre-A-Alma-Dos-Animais

Hoje em dia, por conta do laço afetivo entre pessoas e animais domésticos, é muito comum ter esse tipo de dúvida: Os Animais Tem Alma?

Mas antes de já ir direto aos textos sagrados, vamos raciocinar um pouco sobre esse assunto.

E nada melhor do que perguntas, para nos ajudar nesse raciocínio. Não é mesmo?

Pense um pouco, se um animal doméstico tivesse alma, todos os outros também deveriam ter.

Certo?

Então, vou descrever uma lista de alguns animais e tente imaginar se teriam uma alma:

  • Mosquito da Dengue,
  • Barata Voadora;
  • Piolho;
  • Cupim;
  • Escorpião;
  • Aranha…

Percebeu como foi difícil imaginar uma alma nesses animais?

Sabe porquê?

Porque alguns desses você já exterminou e outros não quer nem chegar perto…

Seja sincero (a)…

Portanto, agora que já houve esse raciocínio, vamos nos textos sagrados!

Onde Está Na Bíblia Sobre As Almas Dos Animais?

Onde-Está-Na-Bíblia-Sobre-As-Almas-Dos-Animais

Na Bíblia Sagrada não há uma única afirmação direta sobre a salvação de animais, apenas dos seres humanos.

Portanto, para ter um entendimento mais completo, pautado nas escrituras, é preciso analisar todo o contexto bíblico.

E por onde podemos começar?

Exatamente pelo COMEÇO DE TUDO!

Analisando exatamente na Obra Maravilhosa da Criação Divina.

Ou seja, vamos entender separadamente, como o homem e os animais foram criados, para se ter uma conclusão bíblica fundamentada.

No livro de Gênesis, há uma grande diferença entre a maneira como Deus criou os animais e a maneira como Deus criou o homem:

E Deus disse: Que a terra produza seres viventes segundo as suas espécies: os animais domésticos, os animais que se movem sobre a terra, e os animais selvagens, cada um segundo a sua espécie. E assim foi” (Gênesis 1:24).

Ou seja, quando Deus criou os animais na terra, os trouxe à existência apenas com a Sua Palavra.

Exatamente como já tinha criado as outras coisas, como a divisão das águas, os vegetais, o sol, a lua, etc…

Mas o homem não, pois a sua criação foi de forma completamente diferente:

E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente.” (Gênesis 2:7).

Portanto, pela Obra da Criação notamos já grande diferença de estruturas, cuidado e atenção divina.

Também temos outros 2 detalhes importantes, ainda no livro de Gênesis:

1. Todas as almas estão sujeitas e no domínio apenas de Deus, pois Ele é quem deve ser adorado, temido e servido, e quando Deus forma o homem, dá è ele o domínio dos animais:

“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra.” (Gênesis 1.26)

2. Quando Deus ordenou sobre a árvore do conhecimento do bem e do mal, não falou com todos os animais, mas ordenou unicamente para o homem:

“E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” Gênesis 2:16,17.

Ou seja, nenhum animal teria autonomia de raciocínio intelectual, para tomar uma decisão, que poderia comprometer a alma.

Apenas o homem, como assim o fez (infelizmente de forma errada).

Conclusão

Curiosamente, assim que o homem peca, Deus sacrificou um animal para substituí-lo da morte literal. (Gênesis 3.21)

Embora, que por anos assim se fez (sacrifício de animais pelo pecado), chegou um momento em que àquilo não era o suficiente para completar a Justiça de Deus.

Por isso, o escritor aos Hebreus, escreve de maneira muito inspiradora e intelectual, sobre o plano de redenção do nosso Senhor Jesus:

“Por isso, entrando no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, Mas corpo me preparaste; Holocaustos e oblações pelo pecado não te agradaram. Então disse: Eis aqui venho(No princípio do livro está escrito de mim),Para fazer, ó Deus, a tua vontade.” (Hebreus 10.5-7)

Sabe porquê?

Porque o homem não tem a mesma estrutura, nem física e muito menos espiritual, de um animal, tornando-se incompatíveis para a remissão definitiva dos pecados.

Por isso, Deus “clamou por justiça” (Hebreus 10.5-7), para receber um sacrifício perfeito e justo, na qual revela o motivo do nosso Senhor Jesus nascer no ventre de Maria.

Pois nascendo em corpo humano, teria a compatibilidade perfeita para cumprir a lei e cobrir o pecado da humanidade, o que na teologia chamasse de União Hipostática.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3.16)

Portanto, somente o ser humano possui alma, que necessita de salvação em Cristo Jesus!

Você já entregou a sua alma para Ele?

Já aceitou o sacrifício do Senhor Jesus pelos seus pecados?

Caso não, que tal agora?

Dobre seus joelhos, feche os seus olhos e faça uma oração profundamente sincera…

Certamente Ele se inclinará à seu favor!

Que Deus abençoe a sua vida!

Compartilhe e abençoe alguém também…

5 1 voto
Avaliação do Artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários
0
Adoraria sua opinião, por favor, comente.x
Rolar para cima